Doutor E-commerce

Categorias de produtos no e-commerce: como organizar?

anúncio para vender online

Você sabia que as categorias de produtos são fundamentais para facilitar a experiência de compra no seu e-commerce? Quanto mais fácil for a navegação de um usuário, menos curto é o caminho dele para realizar uma compra.

 

Quando os produtos não são categorizados da maneira correta, o potencial cliente não sabe por onde navegar e tem dificuldades em encontrar o que deseja.

E isso é prejudicial tanto para ele quanto para a sua loja virtual, diminuindo a taxa de rejeição do site e até mesmo as posições nos mecanismos de buscas.

 

Por isso, a regra aqui é: fazer com que os produtos sejam encontrados facilmente e com poucos cliques. É um detalhe que parece ser simples, mas é necessário pensar estrategicamente para implementá-lo.

 

Pensando nisso, neste artigo, você vai entender a importância e como organizar as categorias de produtos no e-commerce para tornar a navegação mais intuitiva e, é claro, que gere mais vendas.

Continue a leitura!

 

O que são categorias de produtos?

As categorias de produtos são responsáveis por classificar e separar itens semelhantes de uma loja virtual.

Por exemplo, um e-commerce de moda feminina pode ter as seguintes categorias: blusas, calças, casacos, regatas, saias, shorts e vestidos. Assim, uma pessoa consegue encontrar facilmente e em poucos segundos o que procura.

 

Além disso, também existem as subcategorias, que são ramificações das categorias e ajudam a especificar ainda mais os tipos de produtos. Seguindo o exemplo acima, dentro da categoria blusas é possível inserir regatas, croppeds, com manga, sem manga, t-shirts, entre outras.

 

A importância das categorias de produtos no e-commerce

Geralmente, os supermercados no Brasil apresentam uma divisão por setores, ou seja, com itens semelhantes.

Em um corredor, você encontra chocolates e doces, já em outro tem molhos e temperos, depois conta com a seção de produtos de limpeza, e assim por diante.

 

Essa organização é fundamental para encontrar uma mercadoria específica, sem que a pessoa não fique estressada e frustrada no momento de compras.

 

Levando esse ponto em consideração, existem diversos motivos para as categorias de produtos serem tão importantes:

 

  • Agilidade nas buscas: a categorização faz com que os produtos sejam encontrados mais rapidamente. Essa organização aumenta a experiência de compra positiva de uma pessoa.
  • Melhoria de ranqueamento nos mecanismos de busca: a criação de categorias e subcategorias e ordenadas corretamente ajudam na otimização do site. Isso significa que você poderá utilizar palavras-chave dos produtos em suas respectivas categorias, auxiliando no ranqueamento e visibilidade do e-commerce nas pesquisas do Google.
  • Venda de produtos similares: as categorias de produtos também são ótimas para aplicar o cross-selling. Ou seja, oferecer um item complementar ou relacionado com o que usuário pesquisou. Ao fazer isso, você consegue gerar mais vendas e aumentar o ticket médio da loja virtual.
  • Promoções por categorias: a categorização permite fazer com mais facilidade algumas promoções segmentadas. Nas plataformas de e-commerce, é possível criar um parâmetro para aplicação de promoção somente em categorias específicas.
  • Muito mais profissionalismo: isso é indiscutível. A organização proporciona uma aparência profissional ao negócio, gerando mais confiança e segurança para fechar uma compra.

 

Como criar e organizar as categorias de produtos?

Agora que você já sabe o que são e viu a importância das categorias de produtos no e-commerce, chegou a hora de conferir algumas dicas de como aplicar tudo isso na prática. Veja:

 

1 – Entenda o seu público-alvo

Antes de criar as categorias, você deve entender qual é o seu público-alvo, ou seja, quem são os consumidores que irão comprar os produtos.

Busque compreender como é a linguagem e também imagine o caminho mais fácil para essas pessoas seguirem dentro do site.

 

Uma ótima dica para investigar como o seu público procura por um produto é pesquisar em ferramentas de palavras-chave, principalmente o Ubersuggest, Semrush e o Google Trends. Ao identificar os principais termos, você pode aplicar na estrutura de categorias e subcategorias.

 

2 – Analise a concorrência

Uma ótima estratégia para o processo de categorização é analisar alguns concorrentes e grandes marcas do seu segmento.

A partir disso, identifique quais são as principais categorias e como são organizadas nas lojas virtuais.

 

Com essa análise, você consegue ter ideias de como estruturas as categorias de produtos.

 

3 – Categorias otimizadas para SEO

Além de buscar inspirações na concorrência, também faça uma pesquisa de palavras-chave para nomear todas as categorias e subcategorias. Nomes bem definidos auxiliam o usuário a encontrar seu e-commerce ao pesquisar no Google.

 

Para isso, use algumas das ferramentas que comentamos anteriormente: Ubersuggest ou Google Trends, por exemplo.

Cada um desses sites irá fornecer uma lista de palavras-chave bem ranqueadas nos mecanismos de buscas. Ou seja, serão ótimas para aplicar na loja e atrair mais visitas.

 

Você também deve criar textos para cada página de categoria de produtos, de acordo com suas palavras-chave específicas.

Isso vai fazer com que cada página seja indexada e ranqueada no Google, permitindo que aumente os acessos orgânicos na loja virtual.

 

4 – Crie categorias e subcategorias

Já deu para perceber que é importante ter categorias e subcategorias no e-commerce, certo?

Então, pense em uma estrutura que faça sentido e tenha ligação uma seção com a outra.

 

Estrutura da categoria “Cabelos” e suas subcategorias no site da Beleza na Web.

 

Também adicione um banner no topo da página com o nome de cada categoria. Isso ajuda na visualização rápida do usuário, além de entender em qual página está visitando.

 

Outra dica essencial é utilizar os breadcrumbs, ou seja, uma ferramenta interna para indicar qual foi o caminho feito pelo usuário para chegar até aquele produto. Ele conseguirá ver quais foram todas as categorias e subcategorias percorridas e vai ter a opção de voltar para as páginas anteriores.

 

5 – Evite uma quantidade exagerada de categorias

É recomendado ter até 8 categorias no menu do site. Assim, fica mais simples e objetivo para o cliente conferir todos os produtos da loja. Já em relação às subcategorias, não há indicações exatas de números, mas também busque ser direto ao ponto.

 

6 – Crie filtros

Os filtros ajudam a melhorar a experiência positiva de compra. Em alguns casos, as pessoas irão querer pesquisar por características específicas dentro de uma categoria de produtos. Por exemplo, na categoria “regatas” de uma marca feminina será possível filtrar por cores, tamanhos, preços, etc.

 

É uma maneira do usuário encontrar mais rápido o que está procurando, sem precisar gastar muito tempo rolando a categoria desejada.

 

Aplicação de filtros por gênero, tamanho, marca e entre outros na categoria “Calça Infantil” na Netshoes.

 

Criar e organizar as categorias de produtos no e-commerce não é uma tarefa difícil de fazer, porém exige calma e estratégia para colocar em prática. Busque seguir todas as dicas que você viu até aqui. Analise muito bem a concorrência e aplique os outros passos que comentamos.

 

 

Este artigo foi criado em colaboração com eBeez – Consultoria e Implementação de E-commerce 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos Posts