Doutor E-commerce

Início » Dicas para evitar problemas na hora de comprar pela Internet

Dicas para evitar problemas na hora de comprar pela Internet

Pesquisar por diferentes ofertas com calma, escolher um produto sem a pressão do vendedor, não enfrentar filas e receber tudo em casa: estas são algumas das facilidades que o consumidor encontra ao comprar através de lojas virtuais. Desta forma, o comércio eletrônico vem atraindo cada vez mais pessoas, que buscam comodidade e praticidade para seu dia a dia.

No entanto, como nada é perfeito, quem compra pela internet precisa ter atenção redobrada e se proteger contra fraudes e outros problemas recorrentes neste mercado.  As falsas empresas que atuam no e-commerce se aproveitam das compras por impulso, oferecendo aos consumidores preços muito abaixo dos similares existentes no mercado, além de uma série de outros benefícios. Nestes casos, geralmente, trata-se de um verdadeiro golpe. É preciso ficar atento!

Para evitar arrependimentos ou transtornos após uma compra na web, existem algumas recomendações que, mesmo parecendo trabalhosas, vale a pena levar em consideração:

  1. Prefira sites conhecidos

Escolha um e-commerce confiável, ou seja, que se tem certeza de que o produto será entregue, mesmo que se atrase (lembre-se de que, neste caso, o direito ao cancelamento é imediato). Caso seja possível, prefira as lojas que tenham unidades físicas.

  1. Evite pagar em boletos ou depósitos

Utilize o cartão de crédito, pois desta forma será possível bloquear o pagamento caso o produto não seja entregue. Porém, fique atento: é preciso que o site garanta que seus dados estejam blindados (preste atenção ao símbolo de cadeado que aparece no canto direito superior da janela do navegador, garantindo que o ambiente é seguro). Desconfie também quando for pedido que se deposite em conta corrente de pessoa física ou em caderneta de poupança: são os recursos preferidos para golpes!

  1. Tenha ainda mais cuidado com sites estrangeiros

Os consumidores que preferem comprar em sites estrangeiros precisam ficar mais atentos. Muitos não sabem, mas o Código de Defesa do Consumidor é válido apenas em território nacional. Além de não ser possível exigir o cumprimento de nenhuma de nossas leis, os usuários ainda estão sujeitos a pagar taxas pela entrada do produto no Brasil, entre outras questões. Por isso, pense bem: será que vale a pena arriscar?

  1. Desconfie de preços muito abaixo do mercado

As “ofertas milagrosas” representam uma das principais estratégias utilizadas pelas lojas que cometem fraudes. Ao se deparar com um preço fora do comum – muitas vezes até menor do que aquele oferecido pela própria fábrica -, pesquise valores em outros sites de confiança ou em ferramentas como o Buscapé. Caso a diferença seja realmente muito grande, desconfie e pense duas vezes antes de concluir a compra.

  1. Não compre por impulso

Não seja influenciado pelas ofertas ou condições de pagamento. Pesquise com calma, avalie a necessidade de adquirir o produto, assim como as informações que são disponibilizadas sobre ele e, é claro, se a compra irá pesar em seu orçamento. Procure sempre fazer estas perguntas a si mesmo antes de escolher um item (e seja sincero nas respostas!).

  1. Pesquise e cheque as informações fornecidas pela empresa

Verifique se a loja possui uma unidade comercial física e anote o endereço e também todos os telefones e e-mails fornecidos. Procure também o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) da empresa e ligue no SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), que deve ser informado no site, para comprovar os dados.

Se quiser informações ainda mais confiáveis, é possível recorrer ao sistema de consultas do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ou ao site do Procon-SP, que aumentou sua lista de lojas não confiáveis neste mês de julho, totalizando agora 406 sites.

Vale a pena, também, ler a política de privacidade da loja virtual para saber que tipo de compromisso ela assume ao receber e armazenar seus dados pessoais.

  1. Espere um comprovante por e-mail

Caso a compra seja concluída, a loja virtual deve enviar ao consumidor um comprovante, em que se conta, geralmente, o número do pedido, a descrição do(s) produto(s) adquirido(s) e o prazo de entrega. Caso ocorra algum problema, o cliente deverá utilizar este documento para que o Procon consiga resolver a questão junto a empresa.

  1. Busque outras opiniões e experiências com a loja

Utilize o Google ou redes sociais como Facebook e Twitter para buscar por reclamações sobre o site, descobrindo possíveis irregularidades quanto ao cumprimento das condições oferecidas aos consumidores.

  1. Duvide dos comentários 100% positivos no site da loja

Não é nada fácil encontrar um consumidor totalmente satisfeito com todos os aspectos da compra em uma loja virtual, portanto não se deixe enganar pelos comentários positivos presentes no site, pois eles podem ter sido manipulados pelo dono da empresa. Caso não exista nenhuma crítica, fique atento: trata-se, provavelmente, de pura invenção.

  1. Exija sua nota fiscal

Uma loja virtual tem a mesma obrigação de uma loja física e deve fornecer a nota fiscal aos seus consumidores. Guarde o documento, pois ele garante a maior proteção aos clientes (e em qualquer tipo de negócio).

Não se esqueça de que, no comércio eletrônico, o consumidor ainda pode contar com o chamado “Direito de Arrependimento”, em que se garante o direito de devolver o produto em sete dias úteis caso não tenha ficado satisfeito com a compra. Neste caso, o cliente recebe um reembolso de 100% dos valores pagos, incluindo o frete. Esta política também precisa constar no site da empresa.

Proteja-se contra os sites mal intencionados e garanta boas experiências de compra no mercado virtual. Depois dessas dicas, só depende de você. Boas compras!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *